ESCUTA, CUIDADO e REPERTÓRIO

Segunda Roda de Conversa Aberta e Gratuita, a partir dos escritos de Sueli Carneiro e Silvia Federici

Não há comum sem comunidade
Silvia Federic

“Pela construção de uma sociedade multirracial e pluricultural, onde a diferença seja vivida como equivalência e não mais como inferioridade¨
Sueli Carneiro

O QUÊ?
Um círculo formativo para mulheres. Nosso segundo encontro, aberto para quem esteve no primeiro e também para quem chega agora. Para nos escutar. Partilhar inquietações e desejos. E conhecer algumas das ideias de Sueli Carneiro, filósofa negra brasileira, militante feminista e antirracista, e Silvia Federici, historiadora autonomista italiana, que estudou a queima às bruxas e o trabalho doméstico.
PARAQUEM?
TodAs as mulheres. Negras, indígenas, brancas, amarelas trans, cis, lésbicas, bi, homo, jovens, adultas, idosas, caiçaras, urbanas, rurais, gordas, magras e como mais puderem se autodeclarar estão convidadas.
POR QUE?
Compartilhar conhecimento e qualificar o debate sobre gênero, feminismo e o comum.
-Promover o cuidado de si e de outros para identificar e potencializar modos de vida comunitários que privilegiem relações de cooperação e responsabilidade.
-Reconhecer e impulsionar o protagonismo das mulheres da Baixada Santista, em sua sabedoria para o desenvolvimento de soluções de inovação cidadã.
-Conectar as mulheres que integram a nascente rede do LabxS e do Instituto Procomum.
-Criar projetos em conjunto.
COMO?
-Vivências que integram a metodologia de círculos de mulheres, rodas de discussão e oficinas de co-criação para proporcionar:
-Um passeio por conceitos fundamentais para a compreensão das questões de gênero, a noção de comum e comunidade a partir de uma perspectiva eminista.
-Buscar convergências e sentidos partilhados de existência, resistência e ação.
-Estimular a partilha de nossas histórias.
-Inventar caminhos.
QUANDO?
Segundo encontro (dos seis previstos ao longo de 2017): 24 de junho, sábado, das 10h às 13h, Casa Fórum (Rua Primeiro de Maio, 57 – Aparecida).
SOBRE AS MEDIADORAS:
Bianca Santana
Escritora, jornalista e taróloga. Mestre em educação e doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade de São Paulo. É autora de Quando Me Descobri Negra (Sesi-SP Editora, 2016), realiza o curso anual para mulheres “A escrita como caminho”. Mãe de Lucas, 8, Pedro, 6 e Cecilia, 4. É conselheira do Instituto Procomum.
Lia Rangel
Jornalista e contadora de histórias. Feminista e aprendiz de feiticeira. Conduz grupo de leituras e oficinas de literatura para mulheres. Mãe da Júlia, de 13, e do Chico, de 10. É conselheira do Instituto Procomum.
Inscrições encerradas