O LABxS (Lab Santista) promoveu as primeiras atividades em sua nova sede entre os dias 28 de novembro e 16 de dezembro de 2017. O OCUPE LABxS foi uma série de ações colaborativas e coletivas para pensar e construir o novo espaço de inovação cidadã para prática do comum da Baixada Santista.

SIM, NÓS TEMOS UMA HORTA – O Prototipando uma Horta Urbana realizou plantio coletivo de uma horta comunitária

Durante a primeira ocupação do espaço, foram realizadas as seguintes atividade: Sonhando um Espaço Cultural, duas oficinas para discutir e definir o plano diretor do espaço, facilitada pelo arquiteto Rafael Ambrósio (Casa da Árvore); Prototipando uma Horta Urbana, articulada pelo Projeto GerminAção e Lobo Estúdio, na qual foi realizada a limpeza do terreno, projeto e plantio de uma horta comunitária; Intervenção de Arte e Tecnologia, realizada pelo Atêie Hacker, para criar letreiros e intervenções utilizando impressora 3D e corte a laser; a Maratona de Design e Construção, facilitada pelo São Paulo Lab, que já iniciou projeto de mobiliário e vai finalizar a atividade no fim de janeiro; e o Bazar e Festa Luzes da Vila, com venda de roupas e objetos em apoio à ONG Projeto Luzes da Vila, do Morro São Bento.

Para Fernanda Camara, articuladora do LABxS (Lab Santista), o OCUPE LABxS representa a maneira como queremos gerir esse espaço. “Todas as atividades foram pensadas para que os participantes e a comunidade sintam-se parte do local. Não queremos criar regras e projetos sozinhos. Queremos construir e  o LABxS de baixo para cima”, disse Camara.

Georgia Haddad Nicolau, diretora do Instituto Procomum, lembra que o momento ainda é de absorver tudo o que foi construído nos vinte dias de atividades. “Fica ainda mais bonito pensar que estamos apenas começando. Foi bonito de ver o espaço ganhando vida, cores, sorrisos e construindo suas memórias coletivas e compartilhadas. E 2018 está ai e temos muitos projetos e sonhos. Cheguem mais!”, comentou Nicolau.

Assista ao vídeo da ação Prototipando uma Horta Urbana:

Veja depoimentos de articuladores das ações do OCUPELABxS:

“Realizamos uma primeira oficina para criar o plano diretor do espaço. Os participantes discutiram as possibilidades e de que maneira podemos atuar aqui dentro  como podemos interferir de maneira positiva na comunidade, no entorno e no bairro. Vieram mais pessoas do que a gente estava esperando, de diversas formações, localidades e atividades e foi positivo ouvir pessoas com diferentes experiências. Toda essa pluralidade e colaboração vai servir para criar um plano diretor condizente com os objetivos do LAbxS (Lab Santista)“, Rafael Ambrósio, arquiteto e facilitador da oficina Sonhando um Espaço Cultural.

“A importância é o contato com a terra e o resgaste da nossa ancestralidade. A gente também tenta trabalhar a questão da permacultura urbana, como os meios urbanos e espaços públicos podem ser locais de plantio e contato com a terra. Trazer o alimento de volta para a cidade e buscar o conhecimento geral das plantas, como as medicinais, as Plancs, princípios de permacultura e agrofloresta.

E tudo isso é inovação cidadã,normalmente pensamos na inovação somente ligada a questão da tecnologia. Mas ela tem outros caminhos e é isso que queremos mostrar e praticar”, Fernanda Camara, articuladora do LABxS (Lab Santista) e facilitadora da atividade Prototipando uma Horta Urbana.

¨Estamos acostumados a trabalhar com hortas verticais em prédios e casas. Esse espaço parece pequeno, mas é grande e é possível fazer muita coisa. Nossa ideia foi consorciar as especies, trazer a maior quantidade possível com fim comestível. A proposta é de ocupar o espaço com alimentos. Fizemos a consorciação de espécies e temos mais de 30 especies já plantadas. Agora temos um espaço produtivo em quantidade de espécies diferentes, todas elas ajudando e compartilhando umas com as outras”, Andreia Botelho, do Projeto GerminAção e uma das articuladoras do Prototipando uma Horta Urbana.

“A ideia é realizar uma intervenção de arte e tecnologia com tipografia e escolhemos o tema comum. Reunimos frases, poemas e inspirações e criamos intervenções com impressora 3D, corte a laser e luzes LED.

Tivemos uma preocupação em escolher palavras e frases inspiradoras porque são mensagens que as pessoas vão ver no seu dia-a-dia. De alguma forma inspirar e explicar quais são os temas e ações tratadas no LABxS (Lab Santista).

É sempre um desafio conseguir as pessoas se apropriarem. Eu tento tornar as técnicas mais simples e palpáveis para aproximar. Quanto mais suave você consegue trazer a curva de aprendizado, mais chance você tem de diminuir as barreiras de conhecimento”, Caio de Marco, do Atêlie Hacker, sobre a atividade Intervenção de Arte e Tecnologia.

Veja também a sistematização da oficina Sonhando um Espaço Cultural: