Roda de conversa: Instituto Procomum

Vamos partilhar as vivências Coletivo Etinerâncias em suas recentes ações pela Colômbia, México, Cuba e Argentina. E partilhar as experiências de cartografia social a partir das mulheres na América Latina que vem sendo desenvolvida pela Rede Comadre, resultando na construção da primeira plataforma digital de automapeio e intercambio de resistências e saberes de mulheres. O coletivo desenvolve espaços de diálogos e escuta, produzindo sistematização das experiencias das mulheres que impulsionam despatriarcalizar a memoria individual e coletiva. A metodologia também é composta por técnicas para visibilizar o trabalho das mulheres como desenvolvedoras dos seus territórios, tais como a produção de videos, intervenções urbanas, zine e livros.

Desde 2014 o Coletivo Etinerâncias atua a partir da prática diária, no fortalecimento das experiências autônomas de comunidades tradicionais (aldeias indígenas, quilombos, vilas costeiras e campesinas…) e espaços de resistência (ocupações, assentamentos, favelas) pelo Brasil e América Latina. Através da convivência, do vínculo, da escuta e apoio à inteligência coletiva na articulação politica no campo das relações e do comum. Disputa e transforma as relações humanas e os tempos cotidianos contra a fragmentação neoliberal a partir de metodologias sociais, ancestrais e digitais, com um conjunto de estratégias que vão desde de cartografias, sistematização e intercambio de experiências e saberes até agroecologia. Além disso, partilha seus dias junto às parteiras, erveiras, contadores de história, mestres griôs, raizeiras. E dedicam seus caminhos, como aprendizes e co-criadores da tradição oral e ancestral, a conexão da cultura viva, de pontos de encontro entre mundos

O encontro será com Raissa Capasso, Gabriel Kieling e Débora Antoniazi Del Guerra.

(15 vagas)

Inscreva-se agora