Texto por Rodrigo Savazoni

Recebemos no LABxS (Lab Santista), no dia 7/6, o colombiano pastuso Javier Arteaga Romero, professor universitário e desenhista de sonhos, que criou uma metodologia para projetos de inovação chamada Feeling. Essa metodologia é um hacking do Design Thinking (desculpem a sucessão de anglicismos) com tempero sulamericano, inspiração francesa no Pequeno Príncipe e nome gringo, mas que se estrutura a partir de nossa forma desbordante de sentir e agir no mundo (nós, os românticos do sul). Essa remescla de referências, com e sem sentido prévio, é um dos charmes desse invento que bem poderia ser considerado tropicalista, uma vez que deglute informações do centro do capitalismo e as cospe de volta modificando esse próprio centro a partir das periferias.

Feeling vem sendo utilizada em inúmeros projetos em todo o continente. Como diz Javier, não se trata de um modelo nem bottom up (de baixo pra cima) nem top down (de cima pra baixo) para inventar projetos, mas efetivamente descentralizado e distribuído, em que o conhecimento que temos pode se somar aos procedimentos previamente propostos (em guias disponíveis para download gratuito) formando assim um arcabouço novo para o desenvolvimento de nossas ideias.

O que mais gosto nesse projeto é de fato sua utilidade para gerar diálogos em territórios marcados pela exclusão, que são aqueles onde precisamos trabalhar para efetivamente transformar nosso continente. Só posso agradecer ao Javier pela presença, e também aos amigos e companheiros do Instituto Update, que o trouxeram para palestrar em São Paulo e permitiram que nós o roubássemos um pouquinho para Santos. Valeu turma, seguimos juntas.