Cidadania ativa: Disposição, comprometimento e muita troca

Por Sarah Mascarenhas

Fotos por Fabiano Ignácio, Sarah Mascarenhas e David Rangel

Nos dias 22, 23 e 24 de novembro o Instituto Procomum promoveu uma atividade pra lá de instigante. A oficina de ativação cidadã proposta por uma parceria com a British Council, entidade governamental inglesa, que tem como missão promover o intercâmbio multicultural com diferentes nações através da promoção do conceito de cidadania ativa junto a lideranças comunitárias e agentes sociais.

O processo da oficina é intenso e propõe inicialmente que os participantes criem uma atmosfera de confiança, colaboração e aprendizado mútuo. Para uma vivência como essa os facilitadores criaram uma método que nos conduziu inicialmente a nos reconhecermos como indivíduos para depois entendermos onde estamos inseridos e finalmente, como contribuir para melhor a vida em comunidade.

Foto de Sarah Mascarenhas

A imersão foi estruturada em três dias de trabalho, no primeiro dia de atividade começamos com a tradicional roda de apresentações e na sequência uma brincadeira, uma espécie de  “Stop/bingo” sobre os participantes, que consequentemente criaram laços de empatia, afinidade e curiosidade uns sobre os outros, na sequência participamos de uma dinâmica sobre nós que gerou uma árvore onde depositamos nossas expectativas e o que acreditamos ser necessário para realizar.

Foi tudo muito divertido e de forma leve vivenciamos um grande processo de autoconhecimento. O segundo dia, já foi mais pautado na construção do diálogo, criar espaços de escuta, saber a hora de falar, saber se calar quando estiver contemplado pela fala de alguém, não monopolizar os espaços de fala. Outro processo que sem dúvida faz a diferença na hora de propor mudanças em comunidade.

Foto de David Rangel

Sem ouvir o que as pessoas de um lugar tem a dizer, seja sobre sua vida, as características peculiares de cada grupo, as necessidades em comum ou as mudanças para alcançar uma condição de vida diferente da que se vive, sem o diálogo nada se é possível de se construir. As dinâmicas sobre o diálogo, a escuta, a fala, foram momentos inspiradores, pois no dia a dia acabamos por não ouvir as pessoas ao redor, sempre estamos sobrepondo falas e pensamentos, o que gera essa sociedade ruidosa.

No terceiro encontro, já reconhecidos (em duas vias, autoconhecimento e da ação que os participantes realizam) partimos para ação. O resultado do primeiro dia foi um mapa da identidade de cada indivíduo, no segundo dia o mapa da comunidade onde cada um de nós desenvolve projetos e ações sociais, agora é hora de sentar e sistematizar o que pretendemos fazer após essa grande imersão.

Foto de David Rangel

Até aquele momento cada um pensou sobre a sua ação, mas no último encontro era hora de trocar, contribuir uns com os projetos do outro. Isso foi valiosíssimo, pois saber abrir mão de desenvolver o seu plano para colaborar com o do outra já demonstra o resultado obtido nessa imersão. Aquelas 20 pessoas que passaram três dias reunidas, querem se comprometer para além do indivíduo, são comprometidos com o bem comum de uma comunidade, seja ela qual for.

Essa foi a lição mais valiosa que a oficina Active Citizen nos trouxe, em tempos sombrios do nosso país, encontramos pessoas dispostas, comprometidas, colaborativas, resilientes e muito, muito criativas. Para encerrar o ciclo, cada um pensou numa palavra para contemplar a vivência, a minha palavra, sem dúvida foi R-E-N-O-V-A-Ç-Ã-O!

Sarah Mascarenhas, jornalista com atuação em projetos artísticos e sociais, idealizadora e apresentadora do programa “Hora do Sabbat” é veiculado ao vivo na RadioSilva.org toda 4ª às 19:30, 3ª às 21h na RadioBloco.net, disponível também na webradio AlmaLondrina.com.br, além da transmissão ao vivo pelo https://www.facebook.com/horadosabbat.